Números do Caminho de Santiago
Números do Caminho de Santiago

Números do Caminho de Santiago

O Escritório dos Peregrinos da cidade de Santiago de Compostela é o local preferido dos peregrinos após a Praça do Obradoiro e claro, da Catedral de Santiago. É nela que você adquire sua compostelana (certificado).

Geralmente, enfrentamos uma grande fila (foi assim nas minhas duas passagens por lá) para obter o registro que simboliza a vitória de percorrer por mais de cem quilômetros o Caminho de Santiago.

Quando estamos prestes a recebê-la, passamos por uma pesquisa onde informamos vários dados da nossa peregrinação.  Nesse questionário, informamos onde iniciamos nossa jornada, qual foi a rota e o meio de locomoção, dentre outras coisas.

Números do Caminho de Santiago

Números do Caminho de Santiago

Dessa forma, o Escritório acaba tendo informações importantes e estatísticas sobre a peregrinação mais famosa do planeta.  É uma bela forma de entender as tendências e de tentar mensurar o que esse itinerário cristão traz de benefícios turísticos para toda a Espanha.

Em 2018, os números fechados foram impressionantes. Mais uma vez o recorde de peregrinos pelas vias espanholas. De acordo com a últimas estatísticas, 327.378 peregrinos de quase 200 países diferentes receberam seu compostelana em 2018.

Números do Caminho de Santiago

Números do Caminho de Santiago

Como era de se esperar, o Caminho Frances é o mais procurado e Sarria a cidade onde o maior número de peregrinos inicia sua jornada. Como os dados são levantados pelo Escritório de Peregrinos, que entrevista cada um dos caminhantes que finalizam sua jornada, não são contabilizado os peregrinos que não terminaram ou fizeram o sentido oposto.

Rotas mais procuradas:

Caminho Francês – 56.88% (186.199)
Caminho Português – 20.72% (67.822)
Caminho do Norte – 5.82% (19.040)
Caminho Inglês – 4.32% (14.150)
Caminho Português da Costa – 4.23% (13841)
Via de La Plata – 2.79% (9.127)
Muxia-Finisterra – 0,35% (1.131)
Caminho de Inverno – 0.21% (703)

Cidades de início:

Sarria – 27.04% (88.509)
Porto – 10.08% (32.987)
Saint Jean Pied de Port – 10.05% (32.899)
Tui (Caminho Português) – 6.51% (21.308)
Ferrol (Caminho Inglês) – 4.07% (13.335)
Leon – 3.33% (10.915)
O Cebreiro – 2.81% (9.189)
Oviedo (Caminho Primitivo) – 2.69% (8.799)
Valenca do Minho (Caminho Português) – 2.67% (8.726)
Ponferrada – 2.20% (7.209)

Números do Caminho de Santiago

Números do Caminho de Santiago

Nacionalidades dos peregrinos

1 – Espanha
2 – Itália
3 – Alemanha
4 – Estados Unidos
5 – França
6 – United Kington
7 – Irlanda
8 – Lorea
9 – Brasil
10 – Australia

Modo de deslocamento

A pé – 93,49%
Bicicleta – 6,35%

Idades:

30 e 60 anos – 54.81%
<30 – 26.83%
>60 – 18.35%

clients

Caminharam comigo!

Catedral de Santiago de Compostela - 2017
Catedral de Santiago de Compostela - 2017

Vamos falar dela, a Catedral de Santiago

Vamos falar dela, a Catedral de Santiago!

Ela é metáfora. Ela é física. Ela é mística. Ela é foco. Ela é começo, é fim, e quase sempre, o meio para todos que cruzam por ela entre o final da peregrinação do Caminho de Santiago a entrada uma nova etapa da vida.

Desde sua primeira construção, foram mais de 700 anos de muita história, estilos que se sobrepuseram e algumas ampliações até a atual versão.

Catedral de Santiago de Compostela

Catedral de Santiago de Compostela – 2017

Um pouco da sua história

Ainda no Séc IX, foram erguidas duas igrejas que em 1075 , acabaram se transformando em uma única basílica construída por cinquenta artistas de cantaria, dirigidos pelo professor Bernaldo o Vello. Mas foi com Diego Xelmíres como arcebispo que a obra deu um grande salto e o terminal, altar-mor, braços do cruzeiro e capelas radiais foram construídas. Tudo isso antes de sua morte em 1139.

A Catedral de Santiago de Compostela foi inspirada pelas grandes igrejas da França e tudo que fosse de técnicas avançadas de arquitetura e escultura do Ocidente, era utilizada em sua construção.

Catedral de Santiago de Compostela

Catedral de Santiago de Compostela – 2014

A Catedral a primeira igreja românica europeia a ter escultura monumental nas três fachadas: Obradoiro, Praterías e Paraíso. O Pórtico da Glória foi a grande obra que colocou a Catedral em seu Ponto mais elevado de importância da arte românica européia.

Foram mais de 40 anos de construção e certamente “deixaram para a história o grande poema em pedra que resume, não só toda a arte medieval, mas também a concepção do homem e do universo do seu tempo, apresentada numa estrutura arquitetônica de três pisos sobrepostos.”

Catedral de Santiago de Compostela

Catedral de Santiago de Compostela – 2014

No século XVIII foi a última grande intervenção na Catedral. Visava proteger o Pórtico e construir um fechamento do lado oeste com estrutura de mesma magnitude de todo templo. Assim surgiu a fachada barroca em 1750. No ano santo de 1784 as obras finalizaram com a inauguração da Capela da Comunhão.

E hoje?

Ela nos impressiona! Cada visitante, cada peregrino. Mesmo passando por uma restauração que a deixa em meio a tapumes e protetores, ela é deslumbrante com sua torre do relógio.

Em anos santo, quando o dia de Tiago Apóstolo – 25 de julho – cai em um domingo, é possível entrar pela catedral pela Porta Santa. Dentro da Catedral é possível abraçar a estátua de Tiago, descer até a cripta que estão os restos mortais do apóstolo e assistir à missa que é um brinde à sua chegada, principalmente para os peregrinos como eu e talvez, você. Se você tiver a sorte de alguém pagar pela exibição do espetáculo do botafumero, ou se você encarar esse desembolso, sua jornada estará completa!

Tudo é magnífico. Um ritual que você jamais se esquecerá.

Catedral de Santiago de Compostela

Catedral de Santiago de Compostela – 2014

clients

Caminharam comigo!

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

Elas estão por toda parte. Se você caminhar por uns 200 ou 300 metros sem ver alguma delas há um forte indício de que você esteja no caminho errado.

Elas estão organizadas em lindas placas assim como pintadas rusticamente em muros, em árvores, nos postes, nas calçadas, nas ruas e até em carros que ficam sempre estacionados em calles do percurso. Não precisa estar atento para trombar com elas. É de fato um símbolo do Caminho.

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

Setas Amarelas no Caminho de Santiago – Pamplona

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

Essas setas trazem recompensas e deixam o Caminho mais democrático. Por ser tão bem sinalizado, o Caminho de Santiago pode ser feito por qualquer pessoa começando em qualquer local escolhido, desde que faça parte de uma das rotas existentes. Dificilmente há o risco de se perder.

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

A cor das setas é amarela que as vezes estão mais vivas e em outras desbotadas. Dizem que são pintadas com uma tinta barata, mas o que importa? O glamour está na segurança que elas dão ao peregrino. São uma espécie de pulmões que fazem o Caminho respirar.

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

A seta amarela surgiu em 1984 com a iniciativa de um Padre do Cebreiro, Elias Valiña. Em 1983, após o “Casco Antiguo” de Santiago de Compostela ter sido classificado como Patrimônio Cultural da humanidade, houve um crescimento significativo na procura pelo itinerário Jacobeo. Percebendo essa maior movimentação de peregrinos e ouvindo sempre a mesma reclamação da dificuldade de encontrar o caminho correto, ele partiu para Roncesvalles para resolver o problema.

A primeira coisa foi arrematar um resto de tinta que foi usada na marcação de estrada, depois foi seguir com o propósito de eliminar as dúvidas quanto à localização dos peregrinos dentro do caminho.

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

Chegou em Roncesvalles e em seguida foi até Saint Jean. Veio pintando TODOS os locais que ele acreditava que podia gerar alguma dúvida ao peregrino.

Padre Elias Valiño Sanpedro, o “Cura do Cebreiro” como gostava de ser chamado, sempre foi um defensor do Caminho. Escreveu Guias e Livros que auxiliassem os peregrinos em suas jornadas.

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

Setas Amarelas no Caminho de Santiago

Depois disso, todos os anos a família refazia o trecho e as pinturas. Além disso, Elias fortaleceu a ideia de que as associações também deveriam participar desse movimento. Atualmente, uma grande ajuda das Associações do Caminho faz manter a tradição de colocar as setas espalhadas, ajudando cada peregrino que sonha em chegar ao final e celebrar sua conquista na Catedral de Santiago de Compostela.

Uma linda história de quem amava o Caminho e sabia o que o Caminho podia representar para o peregrino.

clients

Caminharam comigo!

Motivos para fazer o Caminho de Santiago
Motivos para fazer o Caminho de Santiago

8 Motivos para fazer o Caminho de Santiago

Motivos para fazer o Caminho de Santiago

Motivos para fazer o Caminho de Santiago

8 Motivos para fazer o Caminho de Santiago

Para alguns, loucura e para outros, atitude. Pra alguns, um sonho distante,  para outros, oportunidade.

Quando relatamos nossa experiência no Caminho, as pessoas geralmente reagem de duas formas distintas: ou mostram interesse em fazê-lo um dia, ou repudiam a ideia,  por acreditar que é uma loucura.

Ambas as reações, mesmo que antagônicas, carregam uma coisa em comum: a curiosidade das pessoas sobre o tema, que quase sempre se transforma em uma pergunta só: Quais são os motivos que te leva a fazer o Caminho de Santiago?

Posso dizer a vocês que depois de percorrer os mais de 800 quilômetros da rota francesa do Caminho de Santiago em duas ocasiões, a resposta a essa pergunta é a seguinte: os motivos são vários.

Esses motivos agem com tanta intensidade, que não só te movem em direção à Espanha, mas também te fazem nunca esquecer da jornada, contribuindo para aumentar o desejo de, um dia, fazê-la novamente.

Todos que já fizeram o Caminho de Santiago dizem que o primeiro toque à porta é um “chamado”. Ele entra em sua vida e permanece lá, as vezes adormecido, às vezes inquieto, às vezes escondido. Mas sempre vivo, esperando que você, uma hora ou outra, assuma “o chamado” e parta em busca dessa experiência extraordinária.

Particularmente, não consigo me lembrar quando foi o meu “chamado”, só me recordo de estar em meio às pesquisas querendo descobri-lo, antes mesmo de partir.

Então, vamos aos motivos?

#08 – Encantamento

É uma jornada rumo ao surpreendente.  O Caminho é como uma mesa farta na casa da vovó, cheia de lugares, de história, de lendas e de experiências para serem vividas.

Quando partimos para algo novo, partimos com a expectativa de sermos tocados e encantados por aquilo que virá pela frente, e é exatamente assim que nos sentimos quando voltamos do Caminho de Santiago: tocados e encantados!

Motivos para fazer o Caminho de Santiago

Motivos para fazer o Caminho de Santiago

#07 – Desbravação

Acredito que o turismo é um dos motivos que mais leva pessoas ao Caminho de Santiago. O desejo de desbravar novos territórios ou lugares desconhecidos pode ser a porta de entrada para uma experiência que vai além de um simples passeio turístico.

Percorrer a Espanha de leste a oeste, ver as imponentes construções e conhecer um pouco da história da civilização europeia são atrativos perfeitos para os turistas e amantes de viagens que, por fim, se tornam peregrinos.

#06 – Simbiose entre você e a natureza

Ao caminhar pelas estradas espanholas, nos deparamos com uma natureza diversificada: Montanhas, planícies, bosques, mesetas com suas intermináveis plantações de trigo, canola, uva e girassóis.

O contato constante com a natureza nos inspira e nos conecta, seja com ela, seja com nosso interior.

Comer uma fruta sentado em piso de terra, sujar a calça, escutar o barulho dos ventos ou observar o movimentos sincronizado das plantações,  harmoniza tudo, e traz de volta muito do que esquecemos no nosso dia a dia.

#05 – Uma aventura

Aventureiros ou amantes de esportes fazem o Caminho de Santiago para viver uma grande experiência física e esportiva. Uma combinação perfeita, não é mesmo?

Afinal, seja caminhando, correndo ou pedalando você estará muitos quilômetros em movimento. O terreno, que varia desde planícies até locais de terrenos acidentados, é perfeito principalmente, para quem gosta de encarar desafios através do esporte.

Motivos para fazer o Caminho de Santiago

Motivos para fazer o Caminho de Santiago

#04 – Superação

O Caminho de Santiago não é um passeio de final de semana.

Exige tempo, planejamento, cuidados e uma execução bem feita para que o objetivo de chegar à Catedral de Santiago de Compostela seja conquistado.

Bolhas, dores, cansaço e situações indesejáveis como frio, sol quente e chuvas são inevitáveis nessa jornada e isso deixa o Caminho mais desafiador.

Ao final, ter superado todos os desafios nos torna mais forte para os desafios do dia a dia.

Motivos para fazer o Caminho de Santiago

Motivos para fazer o Caminho de Santiago

#03  – Descobrir o sentido da palavra Essencial

Um dos maiores aprendizados do Caminho é que ele nos ensina a viver uma vida com o que é essencial.

Durante a peregrinação, percebemos isso quando incluímos na mochila coisas desnecessárias ou esquecemos de outras que são importantes no nosso dia a dia.

Assim como no Caminho, nossas escolhas afetam diretamente o que colocamos pra dentro da nossa vida e isso faz a nossa caminhada ser mais desgastante, pesada e às vezes insuportável.

No caminho, assim como na vida, devemos levar o essencial, seja na mochila ou no coração.

Lembre-se que sorriso, carinho e leveza não pesam!

Motivos para fazer o Caminho de Santiago

Motivos para fazer o Caminho de Santiago

#02 – Encontrar leveza nas pessoas

A sintonia entre as pessoas no Caminho de Santiago é incrível. A conexão entre os peregrinos é quase imediata e acontece  com um simples e sorridente pronunciamento de um “Buen Camino”.

É possível sentir a leveza de cada um que cumpre sua jornada, como se fossemos presenteados por um momento de vida perfeita.Sendo leve e aberto ao outro, o caminho se mostra democrático, eliminando todas as diferenças sociais, étnicas e culturais.

#01 – Espiritualização

O Caminho de Santiago nos oferece a oportunidade e as ferramentas necessárias para que cumprir um caminho ainda mais sagrado: o caminho para dentro de nós mesmos.

É uma jornada que nos ajuda a encontrar respostas para nossas dúvidas, entendimento na condução de nossa vida e controle de nossos sentimentos, obsessões e pensamentos.

Enfim, o Caminho te leva rumo ao seu propósito pleno,  que vai te  guiar para que seus sonhos se tornem realidade!

clients

Caminharam comigo!

Os rituais do Caminho de Santiago

Os rituais do Caminho de Santiago

Quando buscamos pelo significado da palavra ritual, chegamos à simples e fácil conclusão que, tanto em seu sentido literal ou  figurado, trata-se de uma melhor organização de ritos ou ações.

Existem rituais que são criados devido às tradições ou costumes e podem ter conotação religiosa ou não.

No Caminho de Santiago também existem rituais, que foram consagrados durante séculos e séculos, que fazem parte de uma tradição e cultura religiosa e que até os dias atuais são praticados por muitos peregrinos que ali  estão. Outros, são criados por nós mesmos pelo simples fato de que uma determinada prática pode trazer resultados ou efeitos benéficos e esperados.

Para mim, percorrer o Caminho de Santiago é desafiador e me faz querer estar perto da sua história e tudo que envolve a experiência.

Por se tratar de um desafio, me apego a alguns hábitos ou crenças que fortalecem minha mente e me fazem querer tirar desse desafio, o maior número de experiências. Viver os rituais é uma delas.

Além dos tradicionais rituais eu criei alguns que me trouxeram força e bem estar.

Vou a partir de agora elencar os rituais que são conhecidos por todos que buscam informações sobre o Caminho ou que pisam de fato para viver a experiência. Esses rituais, não necessariamente precisam ser cumpridos e o simples fato também não serem impostos, fazem com que você mesmo determine o que você quer agarrar como prática.

Vamos a eles:

  • Pedir por uma benção na Igrjea de Notre Dame em Saint Jean Pied de Port, beber água na fonte ao lado da igreja atravessar o Portal dando o primeiro passo com o pé direito – uma adaptação entre o ritual consagrado  ao meu ritual.
  • Assistir à missa na Igreja de Roncesvalles para receber a bênção aos peregrinos;
  • Caminhar dando três voltas no sentido anti-horário no caminho gramada do lado externo da Igreja de Santa Maria de Eunate. Depois, caminhar por mais três voltas na parte de piso de pedras. E então, seguir para o interior da igreja e fazer um agradecimento pelas coisas boas da vida e pela oportunidade de estar ali presente.
Rituais do Caminho de Santiago

Rituais do Caminho de Santiago – Igreja de Santa Maria de Eunate

  • Gritar da ponde em Puente La Reina e ter a esperança de escutar o seu grito quando chegar em Finisterra;
  • Empilhar pedras durante o percurso. Sobre os totens, sobre os muros de pedras ou pelo caminho, formando pilhas de pedras ou ainda amontoados de pedras que possuem o formato de setas;
Rituais do Caminho de Santiago

Rituais do Caminho de Santiago – Pedras empilhadas formando setas

  • Deixar uma cruz feita de galho nas cercas de arame, ou nas telas que estão em algumas partes do caminho;
Rituais do Caminho de Santiago

Rituais do Caminho de Santiago – Cruz de madeira nas cercas

  • Participar da queimada em Villafranca del Bierzo, um ritual celta que é mantido há muitos anos pelo hospitaleiro do albergue Ave Fenix, Jesus Jato.
  • Carregar uma pedra desde sua casa e deixá-la nos pés da Cruz de Ferro. Um forte ritual que significa deixar ali, na cruz, o que há de negativo da sua vida. Seja um problema, um vício ou até mesmo uma doença. Você quem define o que ali você quer descarregar.
Rituais do Caminho de Santiago

Rituais do Caminho de Santiago – Cruz de Ferro e as milhares de pedras

  • Ir até as estátuas dos peregrinos em Monte del Gozo para contemplar as torres da igreja de Santiago. Mesmo de longe, é um ritual que se mantém desde os peregrinos da idade média.
Rituais do Caminho de Santiago

Rituais do Caminho de Santiago – Estátuas dos peregrinos em Monte del Gozo

  • Caminhar sozinho entre Monte del Gozo e Santiago de Compostela e cantar em voz baixa alguma canção importante pra você;
  • Deitar na praça do Obradoiro e observar a Catedral de Santiago de Compostela agradecendo pelo caminho.
  • Colocar a mão direita na coluna do Pórtico da Glória. Esse local retrata a árvore genealógica de Jesus e atualmente tem as marcas das mãos dos peregrinos que durante anos colocaram as mãos nesse local;
  • Abraçar a estátua do apóstolo Tiago que está no altar principal da Catedral de Santiago de Compostela e dizer a ele: “recomende-me à Deus, meu Amigo”;
  • Bater a sua cabeça por três vezes na cabeça da estátua do mestre Mateo, no Pórtico da Glória, para receber mais sabedoria.
  • Em anos santos, a porta que está atrás do altar da Catedral é aberta. Peça perdão ao lado dela;
  • Queimar as roupas da peregrinação em Muxia ou Finisterra. (update – atualmente é proibido)
Rituais do Caminho de Santiago

Rituais do Caminho de Santiago – Cabo de Finisterra

Muitos desses rituais podem ser vistos com frequência durante a sua jornada, outros, você terá uma única oportunidade de realizá-lo. Portanto, é importante que você os conheça. O mais importante é você se entregar ao Caminho e fazer os rituais que fazem sentido para você.

Buen Camino – Rumo ao Mágico!

clients

Caminharam comigo!

Para um Caminho de Santiago não se diz “adeus”

Para um Caminho de Santiago não se diz “adeus”

A viagem que fiz para o Caminho de Santiago me fascinou. Eu credito que fascina quase todos que o fazem. É uma viagem transformadora e, com propósito ou despropositadamente, o exercício de caminhar vai gerando dentro da gente algo novo. Vamos buscando mais e mais em cada quilômetro percorrido e uma gama de conhecimento, sentimentos e realizações acabam tomando parte do nosso corpo e nos revela algo de novo a todo instante. Acredito que raros seriam os peregrinos que discordariam disso.

Se envolver com o Caminho é para sempre! Não tem essa de dizer que me envolvi no passado e agora nem penso mais a respeito. A busca por informações antes da partida já é o primeiro laço que o Caminho lhe dá. Dalí pra frente é querer mais , fazer mais e viver mais o Caminho e por isso uma única vez acaba não sendo suficiente para muitos ou quase todos peregrinos.

Li uma frase de um amante do Caminho chamado Jorge Cárceres que dizia: “Quando um peregrino vai pela primeira vez para o Caminho de Santiago, tem como desafio uma quantidade de quilômetros que nunca viu pela frente e se prepara para enfrentá-los. Depois de terminada a jornada, volta para a sua casa e mentalmente sabe que um dia voltará. Isso chega a ser um pensamento diário… No seu dia a dia o peregrino começa enfrentar desafios no seu trabalho, na sua vida e percebe que ainda há caminhos aqui que percorrer e não são nada fáceis, muito menos prazeirosos. Encarar de  frente os desafios do nosso cotidiano e, acima de tudo, superá-los nos dá uma certeza: um novo Caminho já está começando e a cada amanhecer a distância diminui até o dia que os seus pés estarão em Saint Jean Pied de Port.”

Parece um vício e eu acredito nisso. Parece que ele nos planta uma semente que cresce e fortifica dentro de nos mesmo. Sabemos do peso da mochila nas costas dos nossos dias da “vida real” e se fortalecer naquilo que acreditamos dá ainda mais coragem para enfrentar os desafios da vida.

O esforço físico é momentâneo e logo passa. Fica para trás! As bolhas se recuperam, as pernas voltam a estar fortes, o cansaço superado e na contra mão, vem a nostalgia. Ver suas fotos, relembrar passagens com amigos, deitar a cabeça para uma noite de sono e deixá-lo afastar para que você tenha um momento com suas conquistas e aprendizados do caminho. A síntese do “Recordar é viver”, cantada em tom alegre em marchinha exemplifica bem a mistura do que vivemos de concreto e de fantasia nas estradas do Caminho.

Perceber que tudo pode ser feito novamente, com outros olhos, em outro momento e com outro propósito quem sabe, nos faz querer cada vez mais entranhar pelas estradas empoeiradas e pelas calçadas históricas do caminho. Pretender colher novos olhares, respirar novas histórias, viver uma nova festa e voltar com mais bagagem maior. Bagagem que não pesa, que não se perde ou se rouba.

Esses tantos quilômetros percorridos jamais estarão por completos na sua mente. Como não registramos tudo facilmente ele será novo e único. Portanto, tente viver novas emoções, dormir em cidades diferentes, escolher albergues que outrora não foram conhecidos, mude a rotina e os horários e escolha outra estação do ano se possível. Fazendo assim, tenho certeza que posso lhe desejar um “buen camino” como se fosse para quem está indo pela primeira vez e continue acreditando que o aprendizado está no caminho e não no destino!

Não se esqueça de quando embarcar em Santiago para retornar para casa dizer apenas um: “até breve”.

“Buen camino” peregrino!